quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Quando você entra na academia e, ao invés de emagrecer... engorda!!!



Aconteceu comigo. Malhava como uma louca, mas ao invés de emagrecer... engordava! Não estou falando em ganhar massa muscular - que eu também ganhava, bastante! -, estou falando em engordar mesmo!

É possível engordar, mesmo malhando? Claro que é, e eu já vou explicar o que aconteceu comigo... 

ACIMA DE TODAS AS COISAS, o que hoje - já educada e já resolvida quanto a este problema - costumo dizer é que não dá pra você treinar o seu corpo sem antes treinar a sua cabeça. Pra começar, o problema era que, por mais que o meu corpo estivesse fazendo as coisas certas - pelo menos estava na academia, e estava indo malhar direitinho -, a minha cabeça não estava, e era a minha cabeça, com pensamentos errados, idéias erradas, informações erradas, que sabotava todo o meu suor. 

Não era o tipo de pessoa que engordava por comer muito todos os dias. Não é que não sentisse vontade de comer mais todos os dias, mas como venho de uma família já gordinha, meio que cresci tentando evitar a obesidade, ou seja, apesar de ter estado gordinha muitas vezes, à obesidade nunca cheguei, mas não por falta de vontade de comer mais, mas por ter sempre controlado mesmo, sabendo que para ficar pior bastava um passo... Daí eu nunca fui uma pessoa de comer muito todos os dias, porém sempre tive algumas fases piores, com mais ansiedade, com mais vontade de comer, e justamente nessas fases que engordo muito. O que acontece é que podia passar um mês me alimentando até razoavelmente bem, mas depois tinha uma semana, "aquela semana" em que tinha desejos compulsivos por comida, o que significava que, naquela semana, tinha vontade de comer mais ou vontade de comer coisas mais calóricas, principalmente doces. Mas como eu dizia, não era meu HÁBITO comer muito todos os dias, e o que me assustou, quando entrei na academia, foi justamente isto: de repente, eu voltava da academia e comia feito um boi, o que não era exatamente um hábito antes, quando eu não malhava. Ou seja, eu comia praticamente o dobro do que comia quando não malhava, e claro, engordei.

As academias aqui não são de dar muitas dicas. Quer dizer, você pode até pedir algumas dicas, mas sempre fica aquele clima muito claro de que "era bom se você pagasse para ter mais dicas e um atendimento personalizado". Aqui, para começar, você assina contrato com a academia por um ano, e tem que se comprometer a pagar a academia por este ano inteiro, independente de ir ou não, mas além de pagar a academia, os personal trainers em geral ficam querendo que você "contrate-os" para um treino particular, bemmm mais caro, ou seja, meio chato ficar pedindo dica de graça para alguém que quer ser pago por isto, então aqui você acaba ficando meio perdido mesmo, e como para acompanhar resultados você também tem que pagar (e não é barato como no Brasil não), é natural que, por vezes, além de não ter progressos, você encontre alguns fracassos, mesmo indo à academia!

O QUE RESOLVEU O MEU PROBLEMA - o que não tem muitos meses que aconteceu - foi começar um acompanhamento com uma nutricionista.  Coisas simples, como comer no máximo de 3 em 3 horas, tomar um pré-treino e um pós-treino, poderiam ter me ajudado desde o início na academia, principalmente para não ter essa "fome de leão" quando saía do treino.

Mas não era só esse apetite voraz que me engordava. O que me engordava, como disse, era a minha cabeça. Porque eu pensava "ah, como eu malhei hoje, já posso tomar esse sorvete", "hummm, hoje eu vou comer essa barra de chocolates, amanhã eu vou para academia e malho o dobro." E hoje, hoje eu sei, isso não funciona! Academia não funciona sem dieta!

Igual uma senhora que eu vi um mês desses na esteira, rs, rs. Ela estava na esteira não tinha nem dez minutos, cansou e saiu dizendo "ah, pelo menos já queimei o meu almoço!", e eu tive vontade de perguntar "E o que foi que a senhora almoçou? Só um tomate?" Porque o que acontece é isso, não adianta malhar achando que vai queimar tudo o que comeu durante o dia, porque não vai, principalmente se ingerir alimentos ainda muito mais calóricos do que os considerados saudáveis.

No fundo, eu estava repetindo tudo aquilo que os meus amigos me diziam. Eles me chamavam para tomar sorvete e diziam "amanhã você queima isso tudo, boba!", mas no fundo só quem malha sabe o sacrifício que é, nada se consegue com facilidades ou cedências frequentes! Toda vez que os amigos agora me chamam para esses excessos, e me dizem que depois eu queimo tudo na esteira, eu sei que estão mentindo, ou que no mínimo nem fazem idéia do que estão falando! Há pequenas coisas que você pode comer que só vai eliminar se ficar umas 6 horas malhando direto, no mesmo ritmo, e isso não dá, não é mesmo? Fora que, além do excesso de hoje, os outros dias você continua se alimentando, ou seja, eliminar as calorias do chocolate da semana passada só vai te atrapalhar a queimar as calorias de hoje.

Não dá pra seguir o conselho do amigo que diz que você vai conseguir queimar rapidinho as calorias da pizza de ontem. Todo mundo tem aquele amigo que come como um boi e nunca engorda. Todo mundo conhece pessoas que conseguem resultados rápidos, e outras que precisam de se esforçar o dobro para conseguir os mesmos resultados.

O funcionamento do corpo de cada um é diferente, por isso aconselho que cada um consulte a sua própria nutricionista, ao invés de seguir conselhos de coisas que foram feitas para pessoas diferentes da gente, que não são a gente.

Há casos e casos, cada qual com suas particularidades. Eu, por exemplo, queria emagrecer, mas não só emagrecer, queria emagrecer e não perder massa muscular, e tonificar o corpo também. Claro que, a dieta que a minha nutricionista me passou, foi levando isso em conta.

Os pães de queijo com a coca-cola da foto são hoje apenas (más) lembranças. Nessa época, ia correndo para a academia, nem sempre tinha tempo de almoçar, e quando não tinha tempo de almoçar era isso o que eu comia, antes do treino. Sim, erradíssimo, claro que hoje eu sei, mas é como eu dizia, naquela altura a minha cabeça estava errada, eu achava que por malhar eu tinha "direito" a certos deslizes. 

Não estou dizendo que agora tenho que ficar obcecada e que nunca mais vou comer um brigadeiro.Hoje, da mesma forma que o meu treino é planejado, a minha alimentação também é, inclusive os deslizes. O que engorda não é um deslize uma vez por mês, mas os deslizes frequentes, principalmente aqueles que nem são percebidos.

Quando um amigo te convida para tomar sorvete porque "sabe" que você depois vai queimar essas calorias, na verdade ele não sabe. Ele não sabe como foi a sua alimentação essa semana, ele não sabe o quanto você malhou essa semana, ele não sabe quais são as suas metas em relação ao treino e à dieta, na verdade ele não sabe de nada, portanto melhor nem dar conversa...

Algo que também fui aprendendo, com o tempo, é que a busca pela forma física e por uma vida saudável requer uma mudança de hábitos. Malhar não é apenas uma atividade física, como passa a ser, também, um estilo de vida.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário